Enchidos

Os tradicionais e saborosos enchidos, que durante séculos serviram de “conduto” aos nossos antepassados, são hoje encarados como um delicioso pitéu à mesa de qualquer restaurante. Ao longo de gerações manteve-se a tradição da produção destes reputados enchidos que enriquecem o nosso património gastronómico e cultural. A União Europeia e o Estado Português reconhecem a qualidade e especificidade dos produtos Montaheira, sendo tal garantido pela utilização de marcas comunitárias de certificação de Indicação Geográfica Protegida da Salsicharia d Portalegre e de Modo de Produção Biológico.

Numa primeira selecção destaca-se: Paio de lombo, Paio de lombo tradicional, Lombo Amarrado, Painho e Salpicão.

Outras iguarias de destaque: Linguiça, Chouriço, Mouro, Morcela, Farinheira Fina e Farinheira.

O Caso de Portalegre

O elemento fundamental para a grande qualidade dos enchidos é a matéria-prima, ou seja, o Porco Preto Alentejano, criado nas vastas planícies e montados. À superior qualidade da sua carne, junta-se um saber fazer ancestral, transmitido de geração em geração, na região de Portalegre. Sob um rigoroso controlo de qualidade seleciona-se os melhores temperos e produz-se os melhores enchidos que o Alentejo tem para oferecer.

Nas suas receitas artesanais a carne utilizada é proveniente exclusivamente do famoso Porco Preto da Raça Alentejana criado em pleno campo, nos montados de sobreiros e azinheiras, com todo o “vagar” durante 12 a 18 meses; no período de Novembro a Março a sua alimentação é enriquecida com a bolota conferindo à sua carne características únicas de aroma e sabor. São os chamados porcos de Montanheira, criados em plena harmonia e ao ritmo da natureza. Mãos experientes e sabedoras temperam a carne com massa de pimentão, alho, sal, vinho e especiarias que, após introdução em tripa natural atada à mão e cura prolongada ao ar e fumo de lenha de azinho, proporcionam enchidos de grande qualidade: suculentos, aroma intenso e sabor próprio, pouco salgado.