Bolota

De origem árabe balluta, a Bolota é um fruto produzido pela Azinheira, Carvalho e  Sobreiro. Os Lusitanos e outros povos pré-romanos da Península Ibérica obtinham através deste fruto farinha, a partir da qual faziam o pão. Os animais, em particular os porcos alimentam-se de bolotas dando portanto um sabor especial à carne quando confeccionada.

Dezenas de milhares de porcos pret(http://www.porcopreto.pt/index.phpoption=com content&task=view&id=69&Itemid=1) iniciam em finais de Outubro um período de engorda no montado alentejano onde, bolota a bolota, vão ganhar os músculos e a gordura que fazem a reputação do presunto ibérico.

 Percorrendo quilómetros, engolindo uns dez quilos de bolotas por dia e tudo o que o montado de azinheiras e sobreiros lhe oferece entre ervas, cogumelos e bichos. Este omnívoro vai ganhar em dois a três meses cerca de 60 a 80 quilos, que acrescentará aos 80 a 100 quilos iniciais. Alternando longos períodos de caminhada sem parar de comer e sestas digestivas quando já não pode mais, andando até de noite quando há luar, o porco de raça alentejana metaboliza os frutos do montado, que melhor do que qualquer outro transforma em carne.

No fim deste período, é o teor em ácidos gordos dos seus tecidos, e muito especialmente a percentagem de ácido oleico, que determinara a qualidade da sua carne e portanto o seu valor para a indústria de transformação.